quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

O Programa Benchmarking Brasil está alinhado com os ODSs

Os cases, projetos e práticas certificadas Benchmarking identificam no formulário de inscrição qual o ODS mais evidente

 Uma agenda para o planeta e para as pessoas 
Clique na imagem

Os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável com suas 169 metas fazem parte de uma Agenda universal liderada pela ONU com atuação nos pilares: econômico, social e ambiental. 

Estes Objetivos e metas para serem atingidos até 2030 e precisam da atuação de todos: governo, empresas e sociedade civil, pois propõem ações em áreas de importância crucial para a humanidade e para o planeta. Para saber mais e baixar em PDF, clique AQUI

Dos ODMs aos ODSs

Os Objetivos do milênio foram estabelecidas pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2000, com o apoio de 191 nações, e ficaram conhecidas como Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM). Eram 8 Objetivos. 
Em 2015, uma nova negociação reformulou a proposta estabelecendo os ODS – Objetivos Desenvolvimento Sustentável para nortear as políticas nacionais e as atividades de cooperação internacional nos próximos quinze anos sucedendo os ODMs.  Os ODSs contemplam uma agenda com 17 Objetivos e 169 metas para serem atingidos até 2030.  São Eles: 
  1. Erradicação da Pobreza
  2. Fome Zero
  3. Saúde e Bem Estar
  4. Educação de Qualidade
  5. Igualdade de Gênero
  6. Água Potável e Saneamento
  7. Energia Limpa e Acessível
  8. Trabalho Decente e Crescimento Econômico
  9. Industria, Inovação e Infraestrutura
  10. Redução das Desigualdades
  11. Cidades e Comunidades Sustentáveis
  12. Consumo e Produção Responsáveis
  13. Ação Contra a Mudança Global do Clima
  14. Vida na Água
  15. Vida Terrestre
  16. Paz, Justiça e Instituições Eficazes
  17. Parcerias e Meios de Implementação
Para baixar em PDF, clique AQUI
Benchmarking Brasil – Um programa de valorização das boas práticas de sustentabilidade, e de quem trabalha com elas 
O Programa Benchmarking realizou sua 1ª edição em 2003 e pela seriedade e formato inovador tornou-se um dos mais respeitados Selos de Sustentabilidade do País. Hoje com 1 modalidade âncora e 5 modalidades paralelas é o mais legítimo dos movimentos de sustentabilidade pela pluralidade de vozes que congrega. 

Empresas, Universidades, Escolas Técnicas Profissionalizantes, Órgãos e entidades representativas e governamentais, Artistas, Personalidades, e mídia especializada fazem parte da iniciativa que está em sua 15a edição. 
A metodologia de seleção e certificação do Programa Benchmarking tem o reconhecimento da ABNT. Em 2013, Benchmarking Brasil foi o grande vencedor (1° colocado) na categoria Humanidades do Prêmio von Martius de Sustentabilidade da Câmara Brasil Alemanha. É considerado a fotografia da gestão socioambiental brasileira registrando seu nível de maturidade e evolução em sustentabilidade. 

O Programa Benchmarking já certificou 356 práticas de 186 instituições de 26 diferentes ramos de atividades. Com aproximadamente 200 especialistas de 21 diferentes países participando da comissão técnica, o programa se tornou uma plataforma de inteligência coletiva em sustentabilidade trabalhando com diferentes públicos para fortalecer o movimento das boas práticas junto a sociedade brasileira. 

Todo este conhecimento aplicado produzido pelos especialistas atuantes em sustentabilidade são compartilhados em publicações especializadas e eventos técnicos. Além do Banco Digital de boas práticas disponível na internet com grande visitação, mais de 60 encontros técnicos já foram realizados. 03 livros publicados (BenchMais 1, 2 e 3) e 12 edições veiculadas da Revista Benchmarking (versões eletrônica e impressa) distribuídas gratuitamente para público atuante e interessado nesta temática. 

A XIV edição do Programa Benchmarking Brasil contou com importantes apoios. São eles: Apoio Institucional: TRF3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região) e do IAPMEI – Parcerias para o crescimento do ministério de economia do governo de Portugal. Apoio Divulgação: Envolverde, Pensamento Verde, Acionista, RSOPT (Rede de Responsabilidade Social das Organizações de Portugal), e Revista Meio Ambiente Industrial. Apoio Acadêmico: Escolas Profissionalizantes Centro Paula Souza, IFSP e Senai SP, e, Universidades Anhembi Morumbi, Uninove e Mackenzie. 

O XIV Bench Day, se realizou nos dias 29 e 30 de junho de 2016 no Hall Nobre e auditório do Tribunal Regional Federal da 3a Região – Av. Paulista, 1842 – 25o andar, em São Paulo/SP.
 Inscrições de cases para a XV Edição: 24 de janeiro a 31 de março de 2017.
Mais informações, visite       TOP FIVE

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Excelência - Regularidade é o que conta

Não tem jeito, nossas práticas denunciam quem somos.  Pode não ser de imediato, mas pouco a pouco, a realidade vem a tona com uma clareza cristalina. Isto acontece com pessoas e com organizações. 

Nada e ninguém consegue sustentar um discurso sem práticas. E mais, será a regularidade das práticas que determinará o quão coerente somos com aquilo que propagamos ser.

Em sustentabilidade, tal fato é recorrente. Empresas e pessoas não mostram a mesma intensidade (e regularidade) nas práticas quanto seus discursos. Na vida pessoal, assim como na vida corporativa, fala-se muito sobre sustentabilidade. Lindas estórias, discursos perfeitos, mas que não resistem a um olhar mais profundo e crítico, e em especial no quesito “regularidade”.

Adoramos contar (e ouvir) boas estórias. Mas, serão as práticas (e principalmente a regularidade delas) que definirá quem somos e o quão bom somos. No final de um campeonato, não são as zebras (aquelas que vencem esporadicamente) que são campeãs, e sim, aqueles que tiveram uma regularidade nas melhores posições. Assim é conosco, assim é com as organizações.
O diálogo, a transparência e o compromisso com o futuro são valores intrínsecos da sustentabilidade
Do jardim da infância a especialização, diferentes fases são cumpridas. O mesmo acontece em relação a sustentabilidade. São escalas de aprimoramentos que passamos. Do discurso as práticas, e das práticas esporádicas a práticas regulares (modus operandi), fases de desenvolvimento e aprimoramento são cumpridas. E quando tivermos chegado na fase da regularidade, um novo passo poderá ser dado. O compartilhamento deste aprendizado com as novas gerações, e com a sociedade.  Este é o legado de quem chegou lá, e comprovou excelência em boas práticas de sustentabilidade. Assim como a visão e experiência passa de pai para filho, o legado das boas práticas de sustentabilidade de uma organização, pode e deve ser compartilhado com a sociedade. O diálogo, a transparência e o compromisso com o futuro são valores intrínsecos da sustentabilidade. E o compartilhamento das boas práticas socioambientais é o caminho natural para quem as possui. São elas (as boas práticas) o pavimento da estrada que nos levará a um futuro mais seguro e sustentável.
Benchmarking Brasil – Um programa de valorização das boas práticas de sustentabilidade, e de quem trabalha com elas 
O Programa Benchmarking realizou sua 1ª edição em 2003 e pela seriedade e formato inovador tornou-se um dos mais respeitados Selos de Sustentabilidade do País. Hoje com 1 modalidade âncora e 5 modalidades paralelas é o mais legítimo dos movimentos de sustentabilidade pela pluralidade de vozes que congrega. Empresas, Universidades, Escolas Técnicas Profissionalizantes, Órgãos e entidades representativas e governamentais, Artistas, Personalidades, e mídia especializada fazem parte da iniciativa que está em sua 15a edição. 

A metodologia de seleção e certificação do Programa Benchmarking tem o reconhecimento da ABNT. Em 2013, Benchmarking Brasil foi o grande vencedor (1° colocado) na categoria Humanidades do Prêmio von Martius de Sustentabilidade da Câmara Brasil Alemanha. É considerado a fotografia da gestão socioambiental brasileira registrando seu nível de maturidade e evolução em sustentabilidade. 

O Programa Benchmarking já certificou 356 práticas de 186 instituições de 26 diferentes ramos de atividades. Com aproximadamente 200 especialistas de 21 diferentes países participando da comissão técnica, o programa se tornou uma plataforma de inteligência coletiva em sustentabilidade trabalhando com diferentes públicos para fortalecer o movimento das boas práticas junto a sociedade brasileira. 

Todo este conhecimento aplicado produzido pelos especialistas atuantes em sustentabilidade são compartilhados em publicações especializadas e eventos técnicos. Além do Banco Digital de boas práticas disponível na internet com grande visitação, mais de 60 encontros técnicos já foram realizados. 03 livros publicados (BenchMais 1, 2 e 3) e 12 edições veiculadas da Revista Benchmarking (versões eletrônica e impressa) distribuídas gratuitamente para público atuante e interessado nesta temática. 

A XIV edição do Programa Benchmarking Brasil contou com importantes apoios. São eles: Apoio Institucional: TRF3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região) e do IAPMEI – Parcerias para o crescimento do ministério de economia do governo de Portugal. Apoio Divulgação: Envolverde, Pensamento Verde, Acionista, RSOPT (Rede de Responsabilidade Social das Organizações de Portugal), e Revista Meio Ambiente Industrial. Apoio Acadêmico: Escolas Profissionalizantes Centro Paula Souza, IFSP e Senai SP, e, Universidades Anhembi Morumbi, Uninove e Mackenzie. O XIV Bench Day, se realizou nos dias 29 e 30 de junho de 2016 no Hall Nobre e auditório do Tribunal Regional Federal da 3a Região – Av. Paulista, 1842 – 25o andar, em São Paulo/SP.
 Inscrições de cases para a XV Edição: 24 de janeiro a 31 de março de 2017.
Mais informações, visite       TOP FIVE

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Boas Práticas e Inovação - Ingresso para o futuro



Todos que trabalham com sustentabilidade conhecem a agenda ODS (Objetivos do Desenvolvimento Sustentável) da ONU com seus 17 objetivos e 169 metas para serem atingidos até 2030 com o propósito de assegurar um futuro sustentável. Uma agenda com 5 Ps (Pessoas, Planeta, Paz, Prosperidade, Parcerias) que iniciou em 2015 substituindo os ODMs (Objetivos do Milênio) da ONU.

O objetivo número 1 dos ODSs é a erradicação da pobreza, em todas as suas formas e em todos os lugares.  Até então nenhuma novidade. O interessante foi fazer a conexão deste objetivo com autores de management para entender a sua viabilidade. Em outras palavras, será possível erradicar a pobreza no mundo? Na visão de Prahalad (um famoso autor indiano no mundo dos negócios), sim é possível. E mais do que isto, é necessário para a prosperidade econômica mundial. 

Prahalad pensou esta questão com uma clareza ofuscante defendendo uma solução pragmática para tal. No seu livro “A Riqueza na Base da Pirâmide - Como Erradicar a Pobreza com o Lucro”, lançado no Brasil em 2005 ele defende a inclusão de 4 bilhões de pessoas de baixa renda no mercado de consumo como forma de garantir uma etapa de prosperidade econômica mundial. Para ele, as estratégias corporativas deveriam ser arquitetadas a partir de oportunidades, e o mercado inclusivo era uma oportunidade de crescer, ganhar dinheiro e melhorar a vida das pessoas. Ou seja, acabar com a pobreza ganhando (e não perdendo) dinheiro.  Ele tinha um olhar para o futuro baseado no desenvolvimento amplo, geral e irrestrito – e não apenas em teoriascentradas em custo. Ele pensava grande, e era muito respeitado por sua habilidade de entender e decifrar movimentos que mudaram destinos e rotas no mundo dos negócios.

Coimbatore Krishnarao Prahalad, deu sua contribuição para a erradicação da pobreza há mais de 1 década atrás. A Agenda da ONU na época tinha apenas 8 objetivos, os chamados ODMs.  
No final da sua vida (ele morreu em 2010), Prahalad escreveu em parceria com colegas artigos sobre sustentabilidade e defendeu a inovação com a mesma paixão. Disse que “empresas inteligentes tratam a sustentabilidade como uma nova fronteira de inovação”. Mais uma vez, perfeito na sua conclusão. Uma empresa não tem que ser boazinha, tem que ser inteligente. E sustentabilidade é inteligência, porém, com ética.
Pensar o futuro como de fato ele é - Uma oportunidade
Em um de seus livros “Competindo pelo Futuro” (1994) , ele afirma que “nos negócios, como na arte, o que distingue os líderes dos retardatários é a capacidade de imaginar com originalidade o que é possível”. Para ele, empresa é bem mais do que um conjunto de silos, mas ambientes dinâmicos de práticas e tecnologias, com profundo conhecimento sobre suas potencialidades. Neste momento, fecha o entendimento de que tratar sustentabilidade como uma nova fronteira de inovação é inteligente porque aumenta a competitividade da organização.

Ele era claro nas suas falas e persuasivo em suas conclusões fundamentadas pela racionalidade do seu pensamento pragmático. Era também um otimista ao articular e revisitar conceitos atuais e antigos, que nem sempre estavam bem conectados. E que ele explorava de forma magistral.
Para Prahalad, o futuro será construído pela dupla: imaginação e ação. Propunha pensar o futuro da forma como de fato ele é. Uma oportunidade. Um destino que precisa de trilha, mochila e atalhos para lá chegar, e bem.

Entendo que sustentabilidade dentro do seu pensamento, representa a mochila (com tudo o que se precisa) para se chegar em segurança ao nosso destino – o futuro.

Prahalad sugeriu desapegar das velhas práticas, aquelas que deram certo em contextos que já não existem mais, pois não serão úteis na trilha que nos leva ao futuro (os contextos são outros). Recomendou dedicar tempo a pensar nas práticas (no seu aprimoramento contínuo, nas atuais e próximas práticas), pois elas são o nosso ingresso para o futuro.  E já que é assim, que elas, (as práticas) sejam boas e tenham excelência. 
Benchmarking Brasil – Um programa de valorização das boas práticas de sustentabilidade, e de quem trabalha com elas  
O Programa Benchmarking realizou sua 1ª edição em 2003 e pela seriedade e formato inovador tornou-se um dos mais respeitados Selos de Sustentabilidade do País. Hoje com 1 modalidade âncora e 5 modalidades paralelas é o mais legítimo dos movimentos de sustentabilidade pela pluralidade de vozes que congrega. Empresas, Universidades, Escolas Técnicas Profissionalizantes, Órgãos e entidades representativas e governamentais, Artistas, Personalidades, e mídia especializada fazem parte da iniciativa que está em sua 15a edição. 

A metodologia de seleção e certificação do Programa Benchmarking tem o reconhecimento da ABNT. Em 2013, Benchmarking Brasil foi o grande vencedor (1° colocado) na categoria Humanidades do Prêmio von Martius de Sustentabilidade da Câmara Brasil Alemanha. É considerado a fotografia da gestão socioambiental brasileira registrando seu nível de maturidade e evolução em sustentabilidade. 

O Programa Benchmarking já certificou 356 práticas de 186 instituições de 26 diferentes ramos de atividades. Com aproximadamente 200 especialistas de 21 diferentes países participando da comissão técnica, o programa se tornou uma plataforma de inteligência coletiva em sustentabilidade trabalhando com diferentes públicos para fortalecer o movimento das boas práticas junto a sociedade brasileira. 

Todo este conhecimento aplicado produzido pelos especialistas atuantes em sustentabilidade são compartilhados em publicações especializadas e eventos técnicos. Além do Banco Digital de boas práticas disponível na internet com grande visitação, mais de 60 encontros técnicos já foram realizados. 03 livros publicados (BenchMais 1, 2 e 3) e 12 edições veiculadas da Revista Benchmarking (versões eletrônica e impressa) distribuídas gratuitamente para público atuante e interessado nesta temática. 

A XIV edição do Programa Benchmarking Brasil contou com importantes apoios. São eles: Apoio Institucional: TRF3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região) e do IAPMEI – Parcerias para o crescimento do ministério de economia do governo de Portugal. Apoio Divulgação: Envolverde, Pensamento Verde, Acionista, RSOPT (Rede de Responsabilidade Social das Organizações de Portugal), e Revista Meio Ambiente Industrial. Apoio Acadêmico: Escolas Profissionalizantes Centro Paula Souza, IFSP e Senai SP, e, Universidades Anhembi Morumbi, Uninove e Mackenzie. O XIV Bench Day, se realizou nos dias 29 e 30 de junho de 2016 no Hall Nobre e auditório do Tribunal Regional Federal da 3a Região – Av. Paulista, 1842 – 25o andar, em São Paulo/SP.
 Inscrições de cases para a XV Edição: 24 de janeiro a 31 de março de 2017.
Mais informações, visite       TOP FIVE

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Fórum de Sustentabilidade 2

PROGRAME-SE

Inovações, reflexões e práticas de excelência em Resíduos e Emissões

Cases e Projetos Benchmarking 
alinhados com os ODSs (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável) 

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Benchmarking Brasil - Credibilidade e Visibilidade para os Legítimos da Sustentabilidade

O Programa Benchmarking Brasil é um selo de sustentabilidade que há 15 anos certifica e compartilha as melhores práticas das organizações brasileiras. É o mais abrangente dos programas de sustentabilidade pela pluralidade de vozes e ações que congrega. É um dos mais respeitados Programas, pelo formato inovador da sua metodologia (reconhecida pela ABNT), que lhe garantiu importantes adesões de apoio. Universidades, Escolas Técnicas Profissionalizantes, Mídia Especializada, e Instituições representativas e governamentais são apoiadoras do Programa Benchmarking, dando lhe credibilidade e visibilidade. Mais informações no site www.benchmarkingbrasil.com.br

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Fórum de Sustentabilidade abriu o calendário 2017 com muitas participações




Hoje tivemos o primeiro Fórum de Sustentabilidade do ano que apresentou Cases, Projetos e APPs certificados pelo Programa Benchmarking em 2016. Um público aproximado de 80 pessoas esteve presente interagindo com os expositores. O Fórum também teve momentos transmitidos ao vivo pelo Live do Facebook do Instituto MAIS


Este ano houve uma reformulação do formato do evento para agregar novos públicos neste grande diálogo da sustentabilidade. Além das participações dos especialistas "seniores", tivemos apresentações de jovens talentos das inovações verdes. 

Os fóruns mobilizam um time de organizações para sua realização. São 9 parceiros e 3 apoiadores.  

São itinerantes e em parceria com universidades, escolas técnicas profissionalizantes e entidades representativas. São abertos e gratuítos, e com emissão de certificado digital pela internet aos que comparecem. Em 2017, serão 7 fóruns que serão realizados até novembro 2017. 



Os cases, projetos e APPs de sustentabilidade, certificados pelo Programa Benchmarking são convergentes com os ODSs (Objetivo de Desenvolvimento Sustentável) da ONU, e após suas apresentações, os palestrantes interagem com a platéia para troca de informações e experiências. Além do conhecimento compartilhado, oportunidades de negócios e parcerias acontecem dado ao perfil dos participantes. 


Sobre os Fóruns de Sustentabilidade


São encontros técnicos para exposição de cases, projetos e APPs certificados pelo Programa Benchmarking, e em consonância com a agenda ODS (Objetivos do Desenvolvimento Sustentável) da ONU. Para ver a programação completa, clique AQUI



Sobre o Programa Benchmarking

Um respeitado selo de sustentabilidade que já certificou mais de 350 cases de boas práticas de sustentabilidade com a colaboração voluntária de aproximadamente 200 especialistas de 22 diferentes países em seus 15 anos de existência.  Se tornou uma plataforma de inteligência coletiva em sustentabilidade reunindo cases, projetos, e APPs certificados. Para saber mais, clique AQUI

Sobre os ODSs (Objetivos de Desenvolvimento de Sustentabilidade)

São objetivos e metas de uma agenda global de desenvolvimento sustentável desenvolvida pela ONU. A agenda conta com 17 objetivos e 169 metas para serem alcançados até 2030. É um plano de ação para as pessoas, para o planeta e para a prosperidade. Os ODSs requer uma parceria global com a participação de todos, incluindo governos, sociedade civil, setor privado, academia, mídia, e Nações Unidas. Para saber mais, clique AQUI



Os Fóruns de Sustentabilidade são realizados pelo Programa Benchmarking Brasil e Instituto MAIS, em parceria com a ABRAPS (Associação Brasileira de Profissionais pelo Desenvolvimento Sustentável), Tribunal Regional Federal da 3a Região, Universidades: Anhembi Morumbi, ESPM, Mackenzie, e, Escolas Técnicas Profissionalizantes Senai SP e Centro Paula Souza. Contam com o apoio da 321 Apresentadores, Papo Reto e Cacauí Eventos. 
          

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Sustentabilidade e Inconsciente Coletivo

A sustentabilidade é uma preocupação recente da humanidade ou sempre fez parte do seu inconsciente coletivo?

Para responder esta questão devemos focar na essência do que seja sustentabilidade, como a entendemos e percebemos. 

De forma, simplificada é o equilíbrio dos pilares social, ambiental e econômico. Mas como isto se traduz na sua essência e no dia a dia dos humanos.

Vamos simplificar as coisas e antes das definições acadêmicas e corporativas, começar pelo que sugere a palavra “sustentabilidade”, ou seja, algo que se renova de forma contínua, autônoma, e por longo tempo.

Ora bolas. Ninguém em sã consciência quer que situações que ofereçam riscos de desestabilização, se renovem "ad aeternum". Ora, ninguém em sã consciência aposta em algo que não seja equilibrado, porque não se manterá em pé por muito tempo. Ora, ninguém em sã consciência acredita que sistemas sujeitos a escassez e extinção de elementos vitais possam sobreviver. Ora, qualquer humano que goze de sua perfeita sanidade quer viver em ambientes que não apresentem nenhuma destas possibilidades aqui citadas. Opa, então a sustentabilidade sempre esteve presente no inconsciente coletivo dos humanos.

Mudou se a forma de vida dos humanos, mas a essência da vida humana continua a mesma

A sustentabilidade, na sua essência, sempre esteve dentro de nós. O homem da caverna queria sustentabilidade para usufruir de uma vida boa. O que era sustentabilidade para ele, imagino, era ter animais em abundância para caça, matar a fome e o frio que colocava em risco sua vida. Tal exigência, fez com que ele se desenvolvesse e trilhasse por caminhos que atendesse este objetivo. 

Para o homem da idade média sustentabilidade era formar grupos fortes, bem alimentados, prontos para combates que pudessem colocar em risco suas vidas. E tal fato, fez ele construir sociedades mais ou menos desenvolvidas. E, o homem dos dias atuais, continua na sua essência querendo a mesma coisa. Condições favoráveis para viver, e viver bem. Mudou o conceito do que seja viver bem, a ciência avançou na compreensão do complexo sistema ambiental do planeta, mas para viver, continuamos precisando das mesmas coisas: ar, água, alimento, saúde, grupos, paz.  E quanto mais equilibrado for o estado das coisas, mais sustentável o ambiente e melhor as condições de vida de quem nele habita. Não será esta a essência da sustentabilidade?

Mudou se a forma de vida dos humanos (a relação do homem com o meio), mas o seu desejo (motivado pelo imperativo de vida e sobrevida) continua intacto no inconsciente coletivo da humanidade - Viver, e bem. Junto aos seus grupos. Entenda-se por grupos, célula familiar e corporativa, classes geosociais de uma cidade ou pais. Os conglomerados empresariais e os blocos de países. Tudo e todos motivados por objetivos comuns. Poderá haver divergência no “modus Operandi” (como chegar lá), mas total convergência onde chegar (objetivo).

O desejo de um destino sustentável (Nosso futuro comum) é comum a todos, porém os caminhos, a velocidade, a direção e os meios nem sempre serão. A sustentabilidade (viver, e bem) faz parte do inconsciente coletivo. Seu grande desafio, é sair do inconsciente para se tornar presente. E de forma consensual, porque os grupos existem e você faz parte deles. Neste ponto, a ciência e as boas práticas podem ajudar.
Benchmarking Brasil – Um programa de valorização das boas práticas de sustentabilidade, e de quem trabalha com elas  
O Programa Benchmarking realizou sua 1ª edição em 2003 e pela seriedade e formato inovador tornou-se um dos mais respeitados Selos de Sustentabilidade do País. Hoje com 1 modalidade âncora e 5 modalidades paralelas é o mais legítimo dos movimentos de sustentabilidade pela pluralidade de vozes que congrega. 

Empresas, Universidades, Escolas Técnicas Profissionalizantes, Órgãos e entidades representativas e governamentais, Artistas, Personalidades, e mídia especializada fazem parte da iniciativa que está em sua 15a edição. 

A metodologia de seleção e certificação do Programa Benchmarking tem o reconhecimento da ABNT. Em 2013, Benchmarking Brasil foi o grande vencedor (1° colocado) na categoria Humanidades do Prêmio von Martius de Sustentabilidade da Câmara Brasil Alemanha. É considerado a fotografia da gestão socioambiental brasileira registrando seu nível de maturidade e evolução em sustentabilidade. 

O Programa Benchmarking já certificou 356 práticas de 186 instituições de 26 diferentes ramos de atividades. Com aproximadamente 200 especialistas de 21 diferentes países participando da comissão técnica, o programa se tornou uma plataforma de inteligência coletiva em sustentabilidade trabalhando com diferentes públicos para fortalecer o movimento das boas práticas junto a sociedade brasileira. 

Todo este conhecimento aplicado produzido pelos especialistas atuantes em sustentabilidade são compartilhados em publicações especializadas e eventos técnicos. Além do Banco Digital de boas práticas disponível na internet com grande visitação, mais de 60 encontros técnicos já foram realizados. 03 livros publicados (BenchMais 1, 2 e 3) e 12 edições veiculadas da Revista Benchmarking (versões eletrônica e impressa) distribuídas gratuitamente para público atuante e interessado nesta temática. 

A XIV edição do Programa Benchmarking Brasil contou com importantes apoios. São eles: Apoio Institucional: TRF3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região) e do IAPMEI – Parcerias para o crescimento do ministério de economia do governo de Portugal. Apoio Divulgação: Envolverde, Pensamento Verde, Acionista, RSOPT (Rede de Responsabilidade Social das Organizações de Portugal), e Revista Meio Ambiente Industrial. Apoio Acadêmico: Escolas Profissionalizantes Centro Paula Souza, IFSP e Senai SP, e, Universidades Anhembi Morumbi, Uninove e Mackenzie. 

O XIV Bench Day, se realizou nos dias 29 e 30 de junho de 2016 no Hall Nobre e auditório do Tribunal Regional Federal da 3a Região – Av. Paulista, 1842 – 25o andar, em São Paulo/SP.
Inscrições de cases para a XV Edição: 24 de janeiro a 31 de março de 2017.
Mais informações, visite      TOP FIVE

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Para ser legítimo tem que ser Benchmarking

Boas Práticas
Quem tem, mostra e compartilha